quinta-feira, 23 de julho de 2015

Uma má experiência de fisioterapia

Passaram já mais de 7 meses desde que fraturei o tornozelo no acidente que tive de mota. No entanto, as dores mantêm-se.

Após 4 meses de fisioterapia que fiz através da companhia de seguros, na clínica Fisiatris, deram-me (pelos vistos erradamente) como 100% apto. De resto, diga-se de passagem, a fisioterapia que fiz nessa clínica (a qual desde já não recomendo e vou explicar a seguir porquê) deixou muito a desejar...

Logo desde o primeiro dia que lá entrei constatei que não primavam pela organização. Os pacientes (des)esperavam na sala de espera (na qual não cabiam todos) para serem chamados. Por vezes chegavam a esperar mais de meia hora para além da hora marcada para o inicio das sessões (o que não facilitava em nada a vida daqueles que se encontravam a meio do horário de trabalho). Depois quando finalmente chamavam, era "tudo ao molho e fé em Deus", mais de 10 pessoas de cada vez eram encaminhadas para uns cubículos minúsculos com um aspeto (na minha opinião) que deixava muito a desejar (para ser simpático) e onde os aparelhos pareciam vindos do tempo da 1ª guerra mundial. Em cada corredor haviam vários cubículos seguidos, uns ao lado dos outros que ao invés de portas tinham umas cortinas duvidosas...
Uma vez nos cubículos, por vezes tínhamos de esperar mais cerca de 10 minutos até que algum funcionário se dignasse a ir ter connosco (que eram manifestamente insuficientes para o número de pacientes)
Após estar cerca de 10 minutos a fazer as ditas "correntes" eléctricas através de umas ligaduras molhadas e de aspecto também muito duvidoso, os aparelhos começavam a emitir um aviso sonoro que na maioria das vezes parecia interminável... Mais uma vez tínhamos de esperar que um funcionário se dignasse a ir ter connosco para dar continuidade ao tratamento.
Depois eram mais 2 minutos de infravermelhos seguidos por mais cerca de 3 minutos de massagem local (com uma pomada que tínhamos de trazer de casa!).
Após isto, saíamos do cubículo e finalmente dirigiamo-nos ao (mini) "ginásio" para os exercícios de fisioterapia. Aí era uma autêntica lotaria. Era chegar e rezar a todos os santinhos, que não estivessem muitos pacientes a aguardar nos banquinhos estrategicamente colocados à volta da sala e virados para o centro onde, à vez, eram tratados cada um dos doentes (que eram literalmente o centro das atenções) pela(s) fisioterapeuta(s) (por norma eram duas mas por vezes chegava a ser uma apenas a ter de dar conta do recado).
Portanto, era uma sorte os primeiros a serem atendidos e despachados dos cubículos, pois não tinham a seguir tanta gente à frente no "ginásio" e consequentemente não precisavam de estar tanto tempo à espera.
Quando finalmente chegava a nossa vez (por vezes chegávamos a esperar meia hora), a fisioterapeuta acabava por estar connosco apenas cerca de 5 minutos (no máximo), não por culpa dela mas porque haviam outros pacientes à espera e as duas fisioterapeutas não tinham mãos a medir.
Resumindo, em cerca de uma hora diária (no melhor dos casos) que se despendia naquele local, na prática estavam connosco em média aproximadamente 10 minutos...

No final das sessões prescritas ainda haviam as consultas com o médico da especialidade da clínica para fazer a reavaliação e o relatório que levávamos para depois entregar ao médico do seguro, consultas essas que deveriam durar no máximo 5 minutos (não faço a mínima ideia qual seria o preço dessas consultas que era pago pela seguradora...)

Um outro pormenor curioso, eram os vários avisos afixados na recepção  a indicar que não tinham multibanco (vá-se lá saber porquê...)

Agora olhando para trás, não me admiro muito que a recuperação não tenha sido bem sucedida. O único ponto positivo, verdade seja dita, era a simpatia de alguns fisioterapeutas mas isso é claramente insuficiente para o que se pretende de uma clínica de recuperação.
É um sítio que, evidentemente, eu não recomendo.

6 comentários :

  1. E fizeste muito bem em deixar isso aqui escrito.

    ResponderEliminar
  2. Recomendo vivamente o GFD (gabinete de fisioterapia desportiva), marca com o Ernesto Ferreira.

    ResponderEliminar
  3. se queres resultados a 100% (reais) nada como acupuntura e massagem terapêutica. vertente oriental, sempre ;) tive um paciente com entorse, sujeito a fisioterapia durante 3 meses. Em 10 dias pus-lhe o pé a mexer.. sem pomadas, estímulos eléctricos e afins...

    ResponderEliminar
  4. @Mundos Mudos Sim, o objectivo é utilizar este blog para partilharmos recomendações, dicas, experiências que sirvam de ajuda a outras pessoas :)

    ResponderEliminar
  5. @Bakinginlisbon sim conheço :) Entretanto já tinha marcado para a Fisiogaspar mas muito obrigado na mesma pela dica! :)

    ResponderEliminar
  6. @Barbara Azevedo OK fico a saber! obrigado pela dica! :)

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...