quinta-feira, 3 de abril de 2014

A individualidade do casal

Uma das coisas que foram ditas (pela Maria do Céu Santo) no programa sobre o Amor em tempos de crise que me chamou a atenção e com a qual concordo e considero importante, foi mais ou menos isto:

A pessoa com quem decidimos coa-habitar e partilhar a nossa vida poderá muito bem ter alguns gostos diferentes dos nossos. O facto de não gostarmos das mesmas coisas não implica que as deixemos de fazer. Temos de continuar a fazer as coisas que gostamos mesmo que sozinhos [desde que não sejam desrespeitosas para a outra pessoa], e partilhar as que ambos gostamos em comum. Tem de haver uma individualidade do casal e tem de haver uma trajectoria em comum. Duas pessoas juntas não são uma. São três identidades distintas: eu, tu e nós.

Existem casais que se tornam num única identidade, em que se constata essa perda total de individualidade, que acaba por ser absorvida. Respeito isso e não critico, cada qual é como é e o que não funciona com determinadas pessoas pode resultar com outras mas sob o meu ponto de vista acho apenas que não é muito saudável. E digo isto com algum conhecimento de causa pois já tive relações anteriores em que tal sucedeu.
Bem sei que quando estamos muito apaixonados, a vontade é passarmos todos os minutinhos junto da outra pessoa mas há que ter um certo cuidado sob pena de às tantas acabamos quase por viver em função do outro e deixamos de fazer pequenas coisas que nos dão prazer (que não têm mal nenhum) em detrimento da outra pessoa e quando damos por isso sentimos falta de algo que no limite poderá levar à saturação e infelicidade.
Tem de haver um pouco de tudo na minha opinião, por vezes cedências de parte a parte, partilha mas também mantermos a nossa identidade pois só assim conseguiremos ser felizes e com que a relação seja bem sucedida.

10 comentários :

  1. Vou-te ser sincera..sempre que posso aproveito o meu tempo com ele! Não sei o dia de amanhã, não sei se um dia irá trabalhar para longe...não sei! E por isso aproveito cada minuto! Mas sabe-me bem, que de vez em quando ele vá jantar com os amigos, ou eu com as amigas! Gosto daquela saudade....gosto de sentir o friozinho na barriga quando ele volta! Nem que sejam apenas umas horas, ou um dia, sabe bem sentir saudades :)
    Acho que não podemos viver sozinhos, mas também não podemos viver 24h sobre 24h acompanhados...temos que arranjar um meio termo...nem 8 nem 80 :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora nem mais! É isso mesmo Orquídea! Meio termo, nem 8 nem 80. :)

      Eliminar
  2. Been there.

    Por falar em "individualidade do casal", e aqueles casais (normalmente já casados) que até partilham o mesmo perfil no Facebook? Achas saudável, ou simplesmente ridículo? :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vai ver qtos desses perfis comuns tem mais meia dúzia ESCONDIDOS!
      Não querendo generalizar (generalizo JÁ) são perfis que escondem muita paz podre, segredos obscuros e jogos sórdidos de poder.

      Conclusão: Ridículo sim, mas com música e fundo fica LINDO!

      Eliminar
    2. Por mim, podem partilhar os perfis como bem entenderem. Só acho que tudo o que é em exagero cansa e maior parte desses perfis passam a vida a colocar fotos dos dois muito apaixonados que na minha opinião se torna cansativo...

      Eliminar
  3. Se deixarmos de ser quem somos, deixamos de ser, em última análise, a pessoa pela qual se apaixonaram! Logo, não faz qualquer sentido serem UM SÓ!

    VOntade de estar juntinhos, claro que sim! Mas SUFOCO é muito diferente! E em ultimo caso, alienação de personalidade (muitas vezes imposta) é tudo menos saudável sob TODOS os pontos de vista!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nada como sermos nós próprios. É claro que de vez em quando é necessário adaptar-nos um bocadinho aqui e ali. Cedências de parte a parte são necessárias desde que não sejam constantes e não nos roubem a identidade.

      Eliminar
  4. "São três identidades distintas: eu, tu e nós." Acho que isto diz tudo. Por muito que o "nós" seja maravilhoso e que tentemos incluir o outro em todas os nossos gostos, a verdade é que não deixamos de ser indivíduos diferentes, com vontades próprias. E acho que isso é muito saudável porque quando deixamos de aceitar as nossas diferenças é quando passamos a ser mais intolerantes com o outro...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que esse é um dos segredos para o sucesso de muitas relações... ;)

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...