terça-feira, 6 de novembro de 2012

Rendido em definitivo

Confesso que não foi amor à primeira vista mas persisti e ainda bem que o fiz porque agora sim, estou completamente rendido à série Homeland.
Os 3 últimos episódios da 1ª temporada foram fenomenais, de deixar a adrenalina nos píncaros como eu gosto, de tal forma que não resisti vê-los logo todos de seguida.
Os primeiros episódios desta 2ª temporada também não ficaram aquém.
Para além disso, as interpretações (em particular da Claire Danes que interpreta a personagem Carrie e também Damian Lewis que interpreta o sargento Brody) são fantásticas.
Ontem vi o 5º episódio e a história sofreu uma volta radical da qual não estava à espera. O sargento Brody foi desmascarado! Algo que não pensei que acontecesse tão cedo para continuar a alimentar a sequela.
Já aqui disse, que esta série vai muito para além do âmbito do terrorismo,  acaba por abordar também de forma incisiva o tema das relações que se estabelecem entre os personagens.
O que diferencia esta série das outras e a torna ainda mais interessante é complexidade das duas principais personagens, a bipolaridade da agente Carrie e a quase dupla personalidade do sargento Brody.
De tal forma, que ontem cheguei a ter pena do sargento Brody e a nutrir alguma empatia por ele, isto apesar de supostamente ele ser o mau da fita.
Isto fez-me pensar que por vezes não é fácil julgar uma pessoa com base numa visão que pode estar descontextualizada de todo um resto que a faz agir determinada maneira.
Até que ponto o sargento Brody que se "aliou" a uma rede terrorista islâmica e esteve muito próximo de cometer um atentado suicida contra lideres dos EUA (que acabaria inevitavelmente por matar pessoas inocentes) poderá ser de facto considerado uma má pessoa, sabendo que ao mesmo tempo é um homem que ama a sua família, que facilmente conseguiu criar laços de amor por uma criança que era filho do líder terrorista da Al-qaeda que o manteve em cativeiro, criança essa que acabou por ser morta, vitima de um ataque sem escrúpulos ordenado pelo vice-presidente americano (razão que o fez passar para o lado do inimigo) e tendo em conta que foi alvo de tortura durante anos e de uma suposta lavagem ao cérebro?...
Complexo não? Poderá ser Brody considerado uma pessoa má?...


7 comentários :

  1. É do melhor que se faz na televisão actual. Brilhante.

    ResponderEliminar
  2. Tenho mesmo que ver essa série!

    homem sem blogue
    homemsemblogue.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  3. Dos últimos posts que tens escrito este é sem dúvida o mais estruturado,e o que mais gostei de ler. Claro que muito se deve ao facto de seguir a série, e estar completamente rendida. Também nunca pensei que o Brody fosse desmascarado tão cedo, pensei mm que a coisa se arrastasse durante um tempo. Só perde quem não vê ;)

    http://alguemquemecale.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  4. Também vejo e considero a par com Scandal da Shonda Rhimes das séries mais interessantes da actualidade!

    ResponderEliminar
  5. Vi a 1ª temporada e fiquei fã!! E realmente...chego a torcer pelo Brody!

    ResponderEliminar
  6. Porra não devia ter lido o post. Spoiler. Começei agora a ver a série e ainda só vi uns 3 episódios mas estou a gostar imenso. Acho que a Claire Danes está brilhante.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...